Petrobras cancela patrocínio da Fórmula 1 na Globo #boato

Boato – O presidente Jair Bolsonaro determinou que a Petrobras cancele o patrocínio nas transmissões de Fórmula 1 da TV Globo. Acabou a mamata.

É óbvio. Toda semana (quando não é mais de uma vez por semana), temos que vir cá no para desmentir uma história sobre um “insucesso da Globo”. Também semanalmente, temos que vir cá para desmentir um “causo” sobre um “grande ato” de Bolsonaro. Hoje, conseguimos juntar os dois tópicos em um só.

De negócio com mensagens que viralizaram em redes sociais, principalmente no Facebook, Bolsonaro resolveu “completar com a mamata” e cancelar o patrocínio das transmissões da TV Globo na Fórmula. A mensagem é acompanhada, em alguns casos, por um meme. Leia três versões de textos que circulam por aí:

Versão 1: BOLSONARO DETERMINA QUE A PETROBRAS NÃO VAI MAIS PATROCINAR A FORMULA 1 PARA A REDE GLOBO. CHEGOU O FIM DA MAMATA COM AS VERBAS DE PROPAGANDAS DO GOVERNO FEDERAL PERDEU OS 3 GIGANTES: PETROBRAS, BANCO DO BRASIL, E CAIXA.

Versão 2: Formula 1: Oferecimento Petro… ops… desculpa, aí, Rede Globosta, mas o Bolsonaro não quer mais ver nosso moeda “correndo” solto por aí nas pistas de Fórmula 1 e cortou o patrocínio da Petrobrás

Versão 3: Bolsonaro determina que a Petrobrás não vai mais patrocinar a Fórmula1 para a Globo, chegou o término da mamata das verbas de propagandas do governo federalista. Ou seja, a Globo perdeu os 3 maiores patrocinadores: Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Petrobrás. #GloboLixo

Petrobras cancela patrocínio da Fórmula 1 na Globo por ordem de Bolsonaro?

Como é verosímil de se ver, muita gente saiu comemorando a suposta iniciativa de Bolsonaro. Mas será mesmo que ele mandou cancelar o patrocínio da Petrobras na Fórmula 1 da Globo? A resposta é não. Calma aí que explicamos tudo.



A resposta é muito simples, mas do jeito que a gente gosta de detalhar o causo, vamos primeiro falar de algumas “coisinhas”. A primeira é que a mensagem segue as principais características de boatos na internet: vaga, alarmista, com erros de português e sem reportar fontes confiáveis. A segunda é que não achamos nenhum que fale deste incisão durante o governo Bolsonaro. E aí chegamos à verdade.

Na veras, o término dos contratos ocorreu em 2015. Na veras, não foi um cancelamento. Simplesmente, a Petrobras (que patrocinou a temporada daquele ano) não quis continuar patrocinando em 2016. A notícia foi destaque em diversos sites de esquerda. De lá para cá, a Petrobras continuou sem patrocinar a Fórmula 1 na Globo até hoje.

Vale manifestar que, no governo Bolsonaro, a Petrobras até anunciou que terá mudanças em termos de patrocínios (vai deixar cultura e vai focar em ensino básica). Porém, nenhuma mudança em relação à Fórmula 1 e a Globo, que continua recebendo inserções da estatal na programação.

Resumindo: a história que aponta que a Petrobras cortou o patrocínio da Fórmula 1 a mando de Bolsonaro é falsa. A “não-renovação” até que aconteceu, mas isso foi de 2015 a 2016, na quadra do governo Dilma.

Petrobras cancela patrocínio da Fórmula 1 na Globo por ordem de Bolsonaro #boato .

© 2019 Luís Eduardo Alló | Fórum | WikiAlló | Social | Privacidade| contato | Sobre |

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Luís Eduardo Alló