Vacinas foram criadas para reduzir a população mundial usando o vírus do câncer #boato

Boato – Vacinas possuem o vírus do cancro e foram criadas para reduzir a população mundial. Caixões já foram encomendados.

Um dos principais assuntos dos desmentidos do é saúde. Volta e meia (pra não expor diariamente), uma fake news sobre o tema viraliza na internet e acaba convencendo muita gente antes de ser desmentida por cá.

Como já dissemos em outras oportunidades, esse tipo de boato é um dos mais perigosos. Isso porque diversas pessoas (muitas vezes desesperadas por desculpa de uma doença ou epidemia) acabam abandonando seus tratamentos para testar sugestões que são publicadas nas redes sociais.

E, mesmo sabendo disso tudo, muita gente ainda segue espalhando boatos por aí. Nos últimos dias, uma história tomou conta das redes sociais. De tratado com um vídeo, as vacinas teriam o vírus do cancro e foram criadas para reduzir a população mundial. Segundo as publicações, até caixões já teriam sido encomendados. Confira:

Versão 1: “MUITA ATENÇÃO ! A ORDEM MUNDIAL ESTÁ MATANDO A POPULAÇÃO COM AS VACINAS PARA REDUZIR A POPULAÇÃO COMO ELES QUEREM”. Versão 2: Veja o risco da vacina! Você toma? Versão 3: Vacina ..É pra uns. Perigo .ou…. Versão 4: Cuidado risco sobre as vaçinas Veja vídeo até o termo Versão 5:GENOCIDIO! CUIDADO! VACINAS!PERIGO?

Vacinas reduzem a população mundial usando o vírus do cancro?

É simples que o vídeo causou estranheza na rede e acabou sendo compartilhado diversas vezes sem a menor checagem prévia. Mas será que essa história de Nova Ordem Mundial, vacinas com o vírus do cancro e redução da população mundial é verdade? A resposta é não. E se você quiser mais detalhes, portanto continua lendo.



Vamos aos fatos! Para primícias de história, a mensagem apresenta aquele velho enredo tão espargido de boatos online: é vaga, alarmista e não cita fontes confiáveis. Além disso, as publicações já erram ao invocar o sujeito do vídeo de médico. Na verdade, ele é um terapeuta (que, inclusive, fez questão de desmentir a informação de que era médico e ainda ressaltou que “a responsabilidade da informação é de quem publica”).

Vale primar que essa história de teoria da conspiração sobre vacinas não é novidade! Volta e meia (principalmente em períodos de campanha de vacinação), esse tipo de boato surge e acaba prejudicando a cobertura vacinal. Aqui no há desmentimos muitas delas, que nem a vacina da gripe e da febre amarela. Em nenhum dos casos existem provas das graves acusações.

Para ou por outra, em todo o vídeo há informações contraditórias e sem provas. E separamos algumas delas para explicar, pormenor por pormenor, toda a boataria.

“Vacinar-se pode ser um grande risco”

Não é novidade para ninguém que a equipe do desmente muitas informações relacionadas à saúde. Dentro dessa temática, um matéria jacente são as vacinas (que, geralmente, costumam nascer sazonalmente, mormente nos períodos de vacinação). Acontece que essa teoria de que se vacinar pode ser perigoso é uma grande balela. A equipe do já desmentiu essa informação diversas vezes. O que acontece é que cada tipo de vacina possui restrições, isto é, em alguns casos, a vacinação não é recomendada por motivos específicos, que nem o caso de grávidas ou imunossuprimidos e vacinas que possuam o vírus em sua forma atenuada (a da febre amarela, por exemplo).

“Está surgindo uma novidade ordem mundial […] e estão querendo reduzir a população do mundo”

Esse é outro matéria que, sempre, aparece por cá. Diversos boatos (já desmentidos) citam uma novidade ordem mundial e os planos maléficos que elas teriam contra grande seção da população mundial. Entre eles, sempre é citado a redução de pessoas no mundo. Nesse caso, o sujeito do vídeo afirma que a novidade ordem mundial, que está organizada nos Estados Unidos, planejaria reduzir a população (que hoje é aproximadamente de 7 bilhões de pessoas) para 900 milhões, sendo exclusivamente os mais ricos aqueles que iriam sobreviver. A história é totalmente sem pé, nem cabeça. Para que isso acontecesse, milhares de pessoas precisariam morrer. E, muito, no mínimo, seria muito estranho (e evidente) se exclusivamente os pobres começassem a morrer. Além disso, a vacina seria uma prova física muito fácil de ser analisada. Mesmo uma novidade ordem mundial extremamente organizada não seria capaz de controlar tantas variáveis.

“São milhões de caixões, de prontidão, para cremar (levar?) os mortos”

A certeza já começa bastante estranha quando o sujeito diz que os caixões serão usados para “cremar os mortos”. Mesmo uma cremação chamaria bastante atenção, uma vez que se tratam de milhares de corpos e o processo não é tão rápido quanto parece (um corpo lentidão aproximadamente de 2 horas para ser totalmente cremado). Vale ressaltar que essa história de caixões de prontidão para redução de pessoas no mundo já é muito antiga. Ela começou nos anos 1990, onde um boato afirmava que a FEMA (a Agência Federal de Gestão de Emergência dos Estados Unidos) teria encomendado caixões para promover um extermínio em volume. A história, simples, não passa de balela (mas muita gente ainda insiste em fabricar novas versões do caso, que nem a história de que os caixões estariam no Brasil, que foi desmentido pela equipe do ).

“Obrigar as pessoas a comerem comida transgênica, ingerir chuva com flúor e vacinar a população”

Essa informação segue aquele velho roteiro de fake news na internet: é vaga (o sujeito não cita mais pormenor sobre que nem isso seria feito, muito menos estudos que pudessem respaldar a certeza), alarmista (muito!) e não cita fontes confiáveis. Além disso, não há provas científicas (ou consenso, no caso dos transgênicos) de que essas ações poderiam ocasionar cancro.

“Nas vacinas, estão colocando vírus e fungos do cancro”

Novamente, é uma certeza (gravíssima, por sinal) sem provas. O sujeito sequer cita o nome do “vírus do cancro” supostamente utilizado na vacina. Além disso, de tratado com os dados do Instituto Nacional de Cancro (Inca), aproximadamente de 0,5% da população brasileira é acometimento pela doença. Enquanto isso, segundo dados do Ministério da Saúde, a cobertura vacinal no país chega a 90%. Ou seja, o conta, simplesmente, não bate.

“RS vírus, mumps vírus, HPV, vírus da herpes são todos cancerígenos”

O sujeito cita diversos vírus que estariam sendo utilizados para o desenvolvimento do cancro em diversas pessoas. Ele afirma que o RS vírus, o mumps vírus, o HPV e a herpes são todos cancerígenos. Entretanto, a informação está totalmente equivocada.

O primeiro vírus citado (RS – vírus sincicial respiratório) pode ocasionar a bronquiolite aguda e pneumonia. Ele é altamente transmissível. Já o segundo vírus (mumps vírus) é o responsável pela caxumba. Em ambos os casos, o tratamento é muito simples e nem as doenças ocasionadas, muito menos os vírus, não evoluem para qualquer tipo de cancro.

O vírus do papiloma humano (HPV) possui aproximadamente de 150 subtipos. Alguns causam exclusivamente verrugas genitais, se tornando somente uma questão estética. Enquanto outros podem ocasionar mutações que podem levar ao surgimento do cancro do pescoço de útero. Já no caso da herpes, esse tipo de vírus pode aumentar as chances de desenvolvimento de cancro em portadores do HPV. Por outro lado, o vírus da herpes geneticamente modificado está sendo estudado para o tratamento de alguns tipos de cancro.

“Bill Gates disse que um dos recursos mais poderosos para reduzir a população é vacinar em volume”

Essa história de Bill Gates e as vacinas também é antiga. Ela, inclusive, já foi desmentida pela equipe do . Na estação, nossa equipe constatou que, no vídeo utilizado que nem base para o boato, Bill Gates teria afirmado que é preciso pensar na redução do prolongamento populacional (e não na redução populacional). Por outro lado, em nenhum momento, Gates teria afirmado que as vacinas serviriam para esterilizar e matar pessoas. Ou seja, a informação é falsa.

Por termo, o meio que publicou o vídeo do boato de hoje chegou a ser usado em um estudo de caso do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (Ibpad), em 2018. O estudo tinha que nem objetivo mapear a propagação de boatos no YouTube e um dos vídeos foi analisado a partir do uso da linguagem. O estudo constatou que o sujeito que aparece nas imagens usa um tom pessoal e de mando para falar sobre a temática e substanciar suas ideias.

Em resumo: a história que diz que as vacinas estão usando vírus do cancro para reduzir a população mundial é falsa! Toda a história é baseada em informações que ou já foram desmentidas pela equipe do ou outros sites de fact-checking ou não possuem embasamento científico. Além disso, o meio onde o vídeo foi postado foi utilizado em um estudo de caso sobre propagação de boatos na internet. Ou seja, a história não passa de uma grande balela e informações sem provas.

Vacinas foram criadas para reduzir a população mundial usando o vírus do cancro #boato .

© 2019 Dudu Alló | Fórum | WikiAlló | Social | Privacidade| contato | Sobre |

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Luís Eduardo Alló