Pesquisador israelense afirma que a gigante DuPont colaborou com a Alemanha Nazista para criação de programas de Eugenia

Um doutorando da Universidade Hebraica de Jerusalém diz que a pesquisa que ele está conduzindo o levou à epílogo de que a gigante química DuPont tinha um relacionamento muito estabelecido com os nazistas na Alemanha antes e durante a Segunda Guerra Mundial, e foi trabalhando com o regime de Hitler para desenvolver programas de eugenia contra inimigos alvos.

De convénio com Nadan Feldman, aproximadamente de 150 corporações dos Estados Unidos tinham laços semelhantes com os nazistas. Mas ele afirma que a DuPont, do jeito que outras empresas químicas e de drogas na quadra, estava mormente próxima de Hitler, e trabalhou em sintonia com o movimento político mais por um tino geral de ideologia e crença, em oposição a simplesmente por lucro.

Depois de examinar os relatórios financeiros e regulatórios de muitos anos, incluindo correspondências entre os executivos da DuPont e os nazistas, Feldman determinou que “o principal motivo” do envolvimento da DuPont com as potências alemãs durante as décadas de 1930 e 1940 era simplesmente a desculpa dos nazistas.

O pesquisador apontou que os executivos da DuPont começaram a fornecer esteio a Adolf Hitler e aos nazistas na dez de 1920, muito antes das eleições de 1932, que levaram ao estabelecimento da ditadura nazista no país em 1933”, relata o site Haaretz.

Além do esteio financeiro a Hitler, os executivos supostamente forneceram esteio financeiro a grupos extremistas nos próprios Estados Unidos, e expressaram interesse em causas adotadas pelos fascistas alemães, do jeito que a eugenia e a teoria da superioridade racial“, disse o jornal israelense.



Havia também outros envolvidos nessas parcerias nazistas, incluindo a infame empresa farmacêutica IG Farben, que mais tarde teria a empresa farmacêutica mais conhecida, conhecida do jeito que Bayer.

Segundo Feldman, a DuPont estabeleceu um convénio de compartilhamento de tecnologia com a IG Farben que permitiu a troca de “conhecimento crítico para a produção de guerra”. Por sua vez, isso permitiu que os nazistas “iniciassem a guerra”, sustenta Feldman com o desenvolvimento de novas tecnologias do jeito que a borracha sintética.

Essa parceria entre a DuPont e os nazistas, e presumivelmente a IG Farben, durou até 1943, que estava muito na Segunda Guerra Mundial, depois que a Alemanha nazista já havia feito avanços consideráveis ​​na tomada de grande seção da Europa. Também durou além do ponto em que os nazistas atacaram a URSS, e mesmo depois que os nazistas declararam guerra aos próprios EUA.

Os laços foram formalmente cortados depois que a Alemanha confiscou os ativos das empresas americanas em setembro de 1943“, revela o Sputnik News.

Tenha em mente que a Bayer, que foi criada pela IG Farben, comprou a corporação mais maligna do mundo, a Monsanto, em 2016, por 66 bilhões de dólares. Uma compra de 66 bilhões de dólares em 2016, a propósito, inclui três números 6 – o que provavelmente não foi um acidente.

O nome combinado, é evidente, deveria ser ‘MonSatanFarben’ porque a Bayer é um desdobramento da Interessengemeinschaft Farben (IG Farben), a empresa química nazista que trabalhou com Adolf Hitler para desenvolver e implantar armas químicas mortais contra a humanidade”, brincou Mike. Adams, do Natural News.

O governo dos EUA apoiou a DuPont e outras empresas simpatizantes do nazismo durante a Segunda Guerra Mundial?

O que realmente incomoda Feldman é a sua percepção de que muitas firmas americanas mantinham relações com os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, “imperturbadas e até com o esteio tácito da governo dos EUA, apesar da crescente ameaço do regime de Hitler ao bem-estar da Europa e do Ocidente”.

Uma dessas empresas era a IBM, que supostamente desenvolveu a tecnologia que os nazistas usavam para rastrear prisioneiros enquanto eles se moviam entre os campos de concentração.

Como informamos recentemente, a IBM está atualmente trabalhando em versões “novas e melhoradas” de blockchain dessas tecnologias mais antigas que a Nova Ordem Mundial presumivelmente usará para manter o controle final sobre a vida das pessoas.

Outras empresas americanas que Feldman diz ter trabalhado com os nazistas incluem a Standard Oil, a General Motors, a Ford, a ITT e a Union Banking, a última das quais ajudou a Alemanha a prometer os empréstimos necessários para financiar equipamentos e suprimentos durante a guerra.

Sem a mobilização da América corporativa para a Alemanha nazista, é muito duvidoso se Hitler poderia ter começado a guerra, duvidando se ele teria conseguido reabilitar a economia alemã – certamente não na velocidade e força que alcançou nos anos 30”, Feldman afirma.

Feldman também diz descobrir “duvidoso” que qualquer historiador, inclusive ele mesmo, não entenderá completamente do jeito que os executivos corporativos encarregados dessas empresas “poderiam dar tanta ajuda a um inimigo tão potente, cruel e fanático … Também é duvidoso se nós seremos capazes de entender por que cada um deles evitou a punição. ”

Fontes:
– Natural News: Israeli researcher claims chemical giant DuPont colluded with Nazi Germany to create eugenics programs
– Sputnik News: Academic Uncovers Troubling ‘Ideological’ Ties Between DuPont, Nazi Germany
– HAARETZ: U.S. Chemical Corporation DuPont Helped Nazi Germany Because of Ideology, Israeli Researcher Says
– Blog Anti Nova Ordem Mundial: Uma Combinação do Inferno: Fusão Monsanto-Bayer Recebe luz Verde… Agricultores Estão Preocupados, e Deveriam Estar
– Natural News: IBM, the same company that provided punch card computing systems to the Nazis, lays groundwork for global “Mark of the Beast” cryptocurrency network

© 2019 Dudu Alló | Fórum | WikiAlló | Social | Privacidade| contato | Sobre |

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Luís Eduardo Alló