Pular para a barra de ferramentas
Críticas

SWALLOW – Crítica

Presentemente, o SWALLOW está disponível nessas plataformas digitais: iTunes, Amazon, GooglePlay / YouTube, Vudu, PlayStation e estas plataformas de cabo: Comcast Xfinity, Spectrum, Verizon Fios, Altice, Cox, DirecTV, AT&T, Bend Broadband, Buckeye, Guadalupe Valley, Hotwire Comunicações, Metrocast, Suddenlink, WOW Internet Cable, RCN, Midcontinent Communications

Swallow é o tipo de filme vasqueiro que realmente oferece ao testemunha uma surpresa. Quando o filme começa, você pode possuir 100% de certeza de que sabe para onde está indo. Porém você estaria inexato. Se falamos histórias tradicionais, o primeiro ato termina em {cerca} de cinco minutos, o segundo em trinta e o terceiro … muito, nesse ponto, o filme está além de qualquer concepção que você possa possuir tido. Essa é a formosura da Swallow. A capacidade de mantê-lo alerta, mesmo que o filme inteiro não funcione realmente.

Swallow segue Hunter (Haley Bennet), uma dona de residência que desenvolve a premência de consumir os utensílios domésticos que a cercam. Cá, temos os ossos de um filme preparado para ir … porém felicidade, adivinhando onde isso realmente vai.

Esse mistério não faz secção do primeiro ato do filme. Por {cerca} de trinta minutos, Swallow caminha em território familiar, introduzindo elementos da história, criando um círculo e terminando-o. Infelizmente, essa secção da história é a mais lânguida, porque muitas delas não parecem novas. O austero design de produção já foi feito antes, a exploração da angústia das donas de residência já foi feita antes e o diálogo certamente parece feito antes. Esse ato tem alguns toques maravilhosos embora. É bonito e muito filmado. Em cenas sem palavras, Bennet tem a chance de realmente luciluzir, trazendo uma satisfação ao comportamento compulsivo que parece bastante real. Não basta realizar parecer uma narrativa ativa.

É aí que entra a próxima secção do filme. Onde a maioria dos filmes terminaria seu segundo ato, Swallow está unicamente começando. É uma boa inversão, pois o enredo se revela mais sobre {como} aguentar com comportamentos prejudiciais do que sobre o próprio comportamento, e o que é mais? Os personagens começam a se envolver ativamente com o enredo. Estruturalmente, há uma vantagem imperfeita no restante do filme que, no entanto, parece sedutor por pretexto de sua {energia} imprevisível.

Porém nem tudo está muito. Embora imprevisível possa ser mais envolvente, nem sempre é o caminho de menor resistência. Um manifesto ponto da trama é introduzido no meio do filme, que repentinamente azeda toda a provação. Embora a tese do ponto da trama não tenha muito inexato com ele (apesar de apresentar uma ar um tanto problemática), a realização deixa muito a desejar. O público nunca percebe que o finalidade de Hunter se move para o terceiro ato real do filme, prejudicando o poder que o confronto climatológico teria. Está perto o suficiente para funcionar, porém não chega lá.

Swallow oferece todas as emoções grosseiras que se espera de sua premissa e até consegue transcendê-las, movendo seu enredo para além de sua premissa de uma maneira que muitos filmes {como} esse não estão dispostos a realizar. Infelizmente, ao se desviar para esse território incógnito, ele não se mantém tão muito quanto deveria.

3 em 5 estrelas

Deixe uma resposta

Fechar
Fechar