Pular para a barra de ferramentas
HQ/Quadrinhos

Silvestre –

Editora: DarkSide – Edição próprio

Responsável: Wagner Willian.

Preço: R$ 69,90

Número de páginas: 192

Data de lançamento: Novembro de 2019

Sinopse

A história de um velho caçador, que vive só em sua colmado no meio da floresta. Um dia, ele resolve realizar uma torta e seu odor atrai diversas visitas inusitadas. Desde animais selvagens a seres imaginários, que, despertados pelo seu subconsciente, disputarão o sabor daquele cheiro que os conduziu até ali.

Positivo/Negativo

Silvestre é uma narrativa na qual impera a vida selvagem. E se há vida selvagem, há mistérios e natureza na sua forma mais crua. “Tudo o que for indomável, que está em seu habitat procedente sem tolerar qualquer mediação humana, será Silvestre.” Deste modo Wagner Willian define sua mais recente obra, com uma arte belíssima.

As criaturas que o caçador atrai para o seu recanto só na floresta representam as inquietudes de seu subconsciente. Willian revela em seu posfácio que se inspirou nas histórias {como} Walden, do repórter norte-americano Henry Thoreau, e Dersu Uzala, do russo Vladimir Arsenyev.

A obra é dividida em três partes. A primeira, Seguia o rastro de um vasqueiro bicho, narra a saga de sobrevivência em uma floresta selvagem, em que o caçador só de qualquer contato humano procura seu manjar {diário} pelo meio de da caça. Cá, as lendas são contadas por meio de micronarrativas, {como} as do Veado e a do Castor.

Em seguida, A Celebração mostra as memórias afetivas do protagonista despertadas quando ele resolve realizar uma torta com a receita de sua falecida esposa.

E o terceiro capítulo, O apressado come cru, mostra a saga dos seres bestiais pelo pedaço da torta, numa verdadeira luta pela sobrevivência quando as criaturas se digladiam de forma animalesca.

Willian explora as memórias afetivas capazes de buscar desejos incautos nos sentimentos mais profundos e não revelados. E escancara a ferocidade e a voracidade com que o ser humano é capaz de transformar um lugar em um {ambiente} totalmente dissemelhante de sua originalidade. E que isso traz consequências desmedidas pelo tempo.

Silvestre aproxima-se mais de um livro ilustrado do que uma história em quadrinhos, por sua estrutura narrativa para a jornada reflexiva que a obra propõe.

Esse é o primeiro totalmente pintado do premiado Wagner Willian. Os desenhos seguem impressionando, {como} em seus trabalhos anteriores. Principalmente na segmento quadrinizada, em que os traços são muito próximos dos esboços, sem finalização.

A maneira {como} o responsável une cores e esboços e encanta ao se apropriar do cenário da natureza em seu estado mais primitivo com tanta viveza. Ao confederar magia, fantasia e arte, Willian se supera.

O letreiramento de Arion Wu utiliza cinco fontes diferentes ao longo da obra. Em algumas passagens, a falta de linearidade e padronização é proposital, porém acaba dificultando a leitura.

A luxuosa edição da Darkside vem com uma luva fosca com verniz em dourado, formato 16 x 23 cm e toga dura. Curiosamente, inverte a posição da toga com o título para o final, {como} nos mangás.

Com diversas camadas de entendimento, dependendo do conhecimento do leitor, Silvestre é uma leitura repleta de diferenças, que proporciona uma interessante viagem para apreciadores de fantasia ligada aos mistérios da natureza.

Classificação:

.

.

.

.

Deixe uma resposta

Fechar
Fechar