Dialética: Tese, antítese e síntese

‘Ninguém pode banhar-se duas vezes no mesmo rio porque nem as águas, nem você permanecem o mesmo”. – Heráclito de Éfeso

Para Heráclito de Éfeso (540-470 a.C.), existe uma ordem no universo que nos cerca, mas tal ordem não é algo misterioso ou oculto e sim algo que pode ser percebido em nosso cotidiano. Para Aristóteles, dialética era um processo racional, a probabilidade lógica das coisas, algo que é aceitável por todos, ou pelo menos pela maioria.

  • Tese – A tese é uma afirmação ou situação inicialmente dada.
  • Antítese – A antítese é uma oposição à tese.
  • Síntese – Do conflito entre tese e antítese surge a síntese, que é uma situação nova que carrega dentro de si elementos resultantes desse embate.

A síntese, então, torna-se uma nova tese, que contrasta com uma nova antítese gerando uma nova síntese, em um processo em cadeia infinito.

Dialética é uma palavra com origem no termo em grego dialektiké e significa a arte do diálogo, a arte de debater, de persuadir ou raciocinar. É um debate onde há ideias diferente, onde um posicionamento é defendido e contradito logo depois. Para os gregos, dialética era separar fatos, dividir as ideias para poder debatê-las com mais clareza.



As coisas mudam e fluem porque existe uma tensão de forças contrárias dentro delas. É a tensão dos contrários no interior de cada coisa que põe tudo em movimento. Como o andar que nos desequilibra e recompõe o equilíbrio a cada passo.

Para o homem de convicção a fé representa sua espinha dorsal. Deixar de ver muitas coisas, não possuir imparcialidade alguma, ser sempre de um partido, estimar todos os valores com uma ótica severa e infalível essas são as condições necessárias à existência desse tipo de homem. Mas isso faz deles antagonistas do homem veraz da verdade.

Agora, este não querer ver o que se vê, este não querer ver como de fato é, praticamente constitui o primeiro requisito para todos que pertencem a alguma espécie de partido: o homem de partido inevitavelmente torna-se um mentiroso. Por exemplo, os historiadores estão convencidos de que Roma era sinônimo de despotismo e que os povos democráticos modernos trouxeram o espírito da liberdade ao mundo: qual a diferença entre essa convicção e uma mentira?

Tese x Antítese = Síntese ; Capitalismo x Comunismo = Nova Ordem Mundial ; Regra de Três = Criação do Problema (do Caos – uma crise econômica mundial, uma revolução, uma guerra etc) + a espera da Reação (reação da sociedade) + a proposta da Solução (mudanças na constituição, criação de novas leis, plebiscitos etc); Tudo isso e muito mais vem sendo feito pela elite mundial (satânica-ocultista-maçônica-illuminati etc) com o fim de obterem o controle total do mundo e das pessoas através de um único governo mundial, uma única religião mundial, um exército e policia mundial.

© 2019 Luís Eduardo Alló | Fórum | WikiAlló | Social | Privacidade| contato | Sobre |

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Luís Eduardo Alló