O Anticristo

“– Olhemos−nos face a face. Somos hiperbóreos – sabemos muito muito quão remota é nossa morada. “Nem por terreno nem por mar encontrarás o caminho aos hiperbóreos”: mesmo Píndaro, em seus dias, sabia tanto sobre nós. Além do Norte, além do gelo, além da morte – nossa vida, nossa felicidade… Nós descobrimos essa felicidade; nós conhecemos o caminho; retiramos essa sabedoria dos milhares de anos no labirinto. Quem mais a descobriu? – O varão moderno? – “Eu não conheço nem a saída nem a ingresso; sou tudo aquilo que não sabe nem trespassar nem entrar” – assim suspira o varão moderno… Esse é o tipo de modernidade que nos adoeceu – a tranquilidade preguiçoso, o compromisso covarde, toda a virtuosa sujidade do moderno Sim e Não. Essa tolerância e grandesa) de coração que tudo “perdoa” porque tudo “compreende” é um siroco para nós. Antes viver no meio do gelo que entre virtudes modernas e outros ventos do sul!… Fomos bastante corajosos; não poupamos a nós mesmos nem os outros; mas levamos um longo tempo para desenredar aonde direcionar nossa coragem. Tornamo−nos tristes; nos chamaram de fatalistas. Nosso fado – ele era a plenitude, a tensão, o reunir de forças. Tínhamos sede de relâmpagos e grandes feitos; mantivemo−nos o mais longe provável da felicidade dos fracos, da “resignação”… Nosso ar era tempestuoso; nossa própria natureza tornou−se sombria – pois ainda não havíamos encontrado o caminho. A fórmula de nossa felicidade: um Sim, um Não, uma traço reta, uma meta…” – (O Anticristo – Friedrich Wilhelm Nietzsche)



Anticristo “opositor a Cristo” é uma denominação generalidade no Novo Testamento para nomear aqueles que se oponham a Jesus Cristo, e também designa um personagem escatológico, que segundo a tradição cristã dominará o mundo. No Judaísmo e no Islamismo esse noção não é considerado.

O Anticristo será um líder, alguém de missão político muito importante: ele chegará à liderança mundial formando uma novidade era de tranquilidade e segurança global. Ele vencerá pela diplomacia, pacificamente, convencendo todos os líderes mundiais, com sutileza, engenhosidade e sabedoria. Ele será uma pessoa “complexa”, dissemelhante de todos os demais, alguém que abraçará em seu caráter, as habilidades e poderes de Nabucodonosor, Napoleão, Alexandre o Grande, e de César Augusto.

  • Não será admirado no início (Daniel 11:21)
  • Virá na era que viver vários anticristos (I João 2:18)
  • É Gogue rei de Magogue, Meseque e Tubal (Ezequiel 38:2)
  • Irá de Nínive (província) (Mossul) para planejar contra Deus.(Naum 1:11)
  • Mente e nega que Jesus é o messias (II João 1:7)
  • Adorará um deus estranho da guerra (Daniel 11:39)
  • Honrará um deus militar com fortunas (Daniel 11:38)
  • Controlará a economia mundial (Apocalipse 13:16-17)
  • Governará com consentimento internacional (Apocalipse 17:12-13)
  • Governará o mundo inteiro (Apocalipse 13:7)
  • Fará um convenção de tranquilidade com Israel por 7 anos (Daniel 9:27)
  • Quebrará o convenção depois 3 anos e meio e iniciará a grande tribulação (Daniel 9:27)
  • Será destruído pelo Messias que retorna (2 Tessalonicenses 2:8)
  • Gênio intelectual (Daniel 7:20)
  • Gênio da política (Daniel 11:21)
  • Gênio militar (Daniel 8:24)
  • Gênio de retórica (Daniel 7:20)
  • Gênio do negócio (Daniel 8:25)
  • Gênio em governo (Apocalipse 13:1-2)
  • Gênio religioso (II Tessalonicenses 2:4)
  • O pastor inútil (Zacarias 11:17),
  • O pequeno chifre (Daniel 7:8),
  • O príncipe que há de vir (Daniel 9:26),
  • O varão vil (Daniel 11:21),
  • O rei que fará segundo a sua vontade (Daniel 11:36),
  • O varão da iniquidade (II Tessalonicenses 2:3),
  • O rebento da perdição (II Tessalonicenses 2:3),
  • O injusto (II Tessalonicenses 2:8),
  • O Anticristo (I João 2:18),
  • O insuportável da desolação (Mateus 24:15),
  • O assolador (Daniel 9:27).

Possuirá o assombroso dom de atrair as pessoas e a irresistível fascinação de sua personalidade, suas versáteis conquistas, sua sabedoria sobre-humana, sua grande habilidade administrativa e executiva, aliadas ao seu poder de consumado lisonjeador, (…) claro diplomata, e soberbo estrategista, vão torná-lo a pessoa mais notável e importante de todos os tempos.

“No cristianismo, nem a moral nem a religião têm qualquer ponto de relatado com a verdade. São oferecidas causas puramente imaginárias (“Deus”, “espírito”, “eu”, “espírito”, “livre vontade” – ou mesmo o “não−livre”) e efeitos puramente imaginários (“vício”, “salvação”, “perdão”, “punição”, “remissão dos pecados”). Um intercurso entre seres imaginários (“Deus”, “espíritos”, “almas”); uma história procedente imaginária (antropocêntrica; uma negação totalidade do noção de causas naturais); uma psicologia imaginária (mal−entendidos sobre si, interpretações equivocadas de sentimentos gerais agradáveis ou desagradáveis, por exemplo, os estados do nervus sympathicus com a ajuda da linguagem simbólica da idiossincrasia moral−religiosa – “contrição”, “peso na consciência”, “tentação do demônio”, “a presença de Deus”); uma teleologia imaginária (o “reino de Deus”, “o raciocínio final”, a “vida eterna”). – Esse mundo puramente imaginário, com muita desvantagem, se distingue do mundo dos sonhos; o último ao menos reflete a verdade, enquanto aquele falsifica, desvaloriza e nega a verdade. Após o noção de “natureza” ter sido usado porquê oposto ao noção de “Deus”, a vocábulo “procedente” forçosamente tomou o significado de “insuportável” – todo esse mundo imaginário tem sua origem no ódio contra o procedente (– a verdade! –), é evidência de um profundo mal−estar com a efetividade… Isso explica tudo. Quem tem motivos para fugir da verdade? Quem sofre com ela. Mas suportar com a verdade significa uma existência malograda… A preponderância do sofrimento sobre o prazer é a razão dessa moral e religião fictícias: mas tal preponderância, no entanto, também fornece a fórmula para a décadence… – (O Anticristo – Friedrich Wilhelm Nietzsche)

Terá uma personalidade gentil, inofensiva, compassiva e se dedicará à tranquilidade e prosperidade do mundo. Esse líder estará pronto para solucionar grandes problemas mundiais: Guerras, crises, Pobreza, desigualdades.




© 2019 Luís Eduardo Alló | WikiAlló | Social | Privacidade| contato | Sobre |

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Luís Eduardo Alló