Como se tornar um Hacker

“Mesmo os hackers que se identificam com uma afiliação religiosa tendem a ser relaxados, hostis à religião organizada em geral e a todas as formas de fanatismo religioso em particular. Muitos desfrutam de religiões parodiais como o Discordianismo e a Igreja do SubGênio.” – Principia Discordia – Gregory Hill e Kerry Wendell Thornley (1965)

Hacker é um indivíduo que se dedica, com intensidade incomum, a conhecer e modificar os aspectos mais internos de dispositivos, programas e redes de computadores. Graças a esses conhecimentos, um hacker frequentemente consegue obter soluções e efeitos extraordinários, que extrapolam os limites do funcionamento “normal” dos sistemas como previstos pelos seus criadores; incluindo, por exemplo, contornar as barreiras que supostamente deveriam impedir o controle de certos sistemas e acesso a certos dados.

Hackers construíram a Internet. Hackers fizeram do sistema operacional Unix o que ele é hoje. Hackers mantém a Usenet. Hackers fazem a World Wide Web funcionar. Se você é parte desta cultura, se você contribuiu a ela e outras pessoas o chamam de hacker, você é um hacker.

A mentalidade hacker não é confinada a esta cultura do hacker de software, hardware e de computação. Há pessoas que aplicam a atitude hacker em outras coisas, como eletrônica ou música – na realidade, você pode encontrá-la nos níveis mais altos de qualquer ciência ou arte. Hackers reconhecem esses espíritos aparentados de outros lugares e podem chamá-los de “hackers” também – e alguns preferem dizer que a natureza hacker é realmente independente da mídia particular em que o hacker trabalha. Hacker são naturalmente anti-autoritários. Qualquer pessoa que lhe dê ordens pode impedi-lo de resolver qualquer que seja o problema pelo qual você está fascinado, a atitude autoritária deve ser combatida onde quer que você a encontre, para que não sufoque a você e a outros hackers.



Existe outro grupo de pessoas que se dizem hackers, mas não são. São pessoas (adolescentes) que se divertem invadindo computadores e fraudando o sistema telefônico. Hackers de verdade chamam essas pessoas de “crackers”, e não tem nada a ver com eles. Hackers de verdade consideram os crackers preguiçosos, irresponsáveis, e não muito espertos, e alegam que ser capaz de quebrar sistemas de segurança torna alguém hacker tanto quanto fazer ligação direta em carros torna alguém um engenheiro automobilístico. Infelizmente, muitos jornalistas e escritores foram levados a usar, erroneamente, a palavra “hacker” para descrever crackers; isso é muito irritante para os hackers de verdade. A diferença básica é esta: hackers constroem coisas, crackers as destroem.

Hackers resolvem problemas e constroem coisas, e acreditam na liberdade e na ajuda mútua voluntária. Hackers são necessariamente programadores habilidosos (mas não necessariamente disciplinados). Muitos são jovens, especialmente estudantes (desde nível médio a pós-graduação). Por dedicarem muito tempo a pesquisa e experimentação, hackers tendem a ter reduzida atividade social e se encaixar no estereótipo do nerd, mas nem sempre. Suas motivações são muito variadas, incluindo curiosidade, necessidade profissional, vaidade, espírito competitivo, patriotismo, ativismo ou mesmo crime. Hackers que usam seu conhecimento para fins ilegais ou prejudiciais são chamados crackers.

Para ser aceito como um hacker, você tem que se comportar de acordo com essa atitude. E para se comportar de acordo com essa atitude, você tem que realmente acreditar nessa atitude. Mas se você acha que cultivar a atitude hacker é somente um meio para ganhar aceitação na cultura, está enganado. Tornar-se o tipo de pessoa que acredita nessas coisas é importante para você – para ajudá-lo a aprender e manter-se motivado. Assim como em todas as artes criativas, o modo mais efetivo para se tornar um mestre é imitar a mentalidade dos mestres – não só intelectualmente como emocionalmente também.

O importante a saber para um novato é estar ciente que precisará adquirir habilidades de hacker pegando uma cópia do Linux ou de um dos BSD-Unixes, instalar em um PC, e rodá-lo. Sim, há outros sistemas operacionais no mundo além do Unix. Porém, eles são distribuídos em forma binária – você não consegue ler o código, e você não consegue modificá-lo. Tentar aprender a “hackear” em DOS, Windows ou MacOS é como tentar aprender a dançar com o corpo engessado. Portanto não perca seu tempo tentando aprender algo nesses sistemas.

© 2019 Dudu Alló | Fórum | WikiAlló | Social | Privacidade| contato | Sobre |

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Luís Eduardo Alló