The Doors

The Doors foi uma margem de rock psicodélico norte-americana formada em 1965 em Los Angeles, na Califórnia. O grupo era formado por Jim Morrison (voz), Ray Manzarek (teclados), Robby Krieger (guitarra) e John Densmore (bateria). A margem recebeu esse nome por sugestão de Morrison do título do livro de Aldous Huxley, The Doors of Perception. Esteve entre as mais controversas e influentes bandas de rock da dezena de 1960, principalmente por pretexto das letras de Jim Morrison e atuações de palco carismáticas e imprevisíveis. Após a morte de Morrison em 1971, os membros remanescentes continuaram uma vez que um trio até se separarem em 1973.

Origens (1965 – 1966)

As origens dos The Doors surgem de um encontro ao eventualidade entre dois estudantes da escola cinematográfica UCLA, Jim Morrison e Ray Manzarek, em Venice Beach, na Califórnia em Julho de 1965. Morrison disse, logo, a Manzarek, que andava a ortografar canções e, a pedido de Manzarek, cantou “Moonlight Drive”. Impressionado pelas letras de Morrison, Manzarek sugeriu que formassem uma margem.

The Doors (1967)

The Doors, o álbum de estreia da margem, foi gravado em agosto de 1966 e lançado na primeira semana de janeiro de 1967. Incluía a maioria das principais canções das suas atuações, incluindo o drama músico de 11 minutos “The End”. A margem gravou o disco em poucos dias entre finais de agosto e início de setembro, com várias canções a serem capturadas num único take.

Strange Days (1967)

Em Outubro de 1967, foi lançado o segundo trabalho dos Doors, intitulado Strange Days e considerado menos instintivo que seu predecessor, ainda que tenha também ficado creditado pela sua atmosfera e letras. A fita final, “When the Music’s Over”, era, tal uma vez que “The End”, longa e dramática, e contribuiu para aumentar a reputação de Morrison uma vez que figura do rock. O álbum incluiu canções clássicas dos Doors uma vez que “People Are Strange” e “Love Me Two Times”.



Waiting for the Sun e o incidente de Miami (1968-1969)

Em abril, a gravação do terceiro álbum ficou marcada pela tensão resultante da crescente obediência de Morrison pelo álcool. Em aproximação do seu pico de popularidade, os Doors realizaram uma série de espetáculos ao ar livre que levaram a várias situações descontroladas entre fãs e polícia, particularmente no “Chicago Coliseum” a 10 de maio.

The Soft Parade (1969)

O seu quarto álbum, The Soft Parade, lançado em julho de 1969, distanciou mais o grupo da sua base de fãs original, contendo arranjos mais pop e seções de trompetes. O primeiro single, “Touch Me”, teve colaboração do saxofonista Curtis Amy.

Morrison Hotel (1970)

Os Doors regressaram ao sucesso em 1970 com o seu quinto LP, Morrison Hotel. Com um som hard rock consistente, o primeiro single do álbum foi “Roadhouse Blues”, tendo leste atingido o 4º lugar nos Estados Unidos.

L.A. Woman e os últimos dias (1971 – 1972)

Durante a última performance pública dos Doors com o alinhamento original, na “Warehouse” em Nova Orleães, na Louisiana, a 12 de Dezembro de 1970, Morrison aparentemente teve um colapso nervoso, tendo deixado desabar por várias vezes o microfone ao pavimento

Pós-Morrison (1972 – 2000)

Os restantes membros dos Doors continuaram durante mais qualquer tempo a agir, considerando inicialmente em substituir Morrison com novo vocalista. Chegou-se a declarar que Iggy Pop era um dos cantores considerados para a verosímil ingresso. No entanto, Krieger e Manzarek ficaram com os vocais, lançando mais dois álbuns, Other Voices e Full Circle, e partiram em mais uma passeio. Ambos os álbuns venderam menos que os registros da era Morrison, e por isso os Doors pararam as atuações e as gravações no final de 1972. O último álbum entrou no território do jazz. Os álbuns só foram relançados em CD na Alemanha e Rússia, num pacote 2 em 1.

Discografia de The Doors

  • 1967 – The Doors
  • 1967 – Strange Days
  • 1968 – Waiting for the Sun
  • 1969 – The Soft Parade
  • 1970 – Morrison Hotel
  • 1971 – L.A. Woman
  • 1971 – Other Voices
  • 1972 – Full Circle
  • 1978 – An American Prayer

© 2019 Luís Eduardo Alló | Fórum | WikiAlló | Social | Privacidade| contato | Sobre |

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Luís Eduardo Alló