Coreia do Norte diz que EUA agiram de má-fé no segundo encontro entre Trump e Kim

Norte-coreano esteve reunido com presidente da Rússia, Vladimir Putin. O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, acusou nesta quinta-feira (25) os Estados Unidos de agirem de maneira unilateral e com má-fé no segundo encontro entre ele e Donald Trump, em fevereiro. O norte-coreano também disse que a situação na península dependerá completamente das atitudes tomadas pelo governo dos EUA.

“A situação na Península Coreana e na região está estagnada e chegou a um ponto crítico”, afirmou Kim, de convenção com a filial KCNA
Trump e Kim se reuniram em fevereiro em Hanói, capital do Vietnã.

Diferentemente do primeiro encontro muito sucedido de Singapura, em junho de 2018, a segunda cúpula terminou mais cedo e sem nenhum convenção assinado.

A Casa Branca queria mais garantias do programa de desnuclearização da Coreia do Norte antes de relaxar as sanções impostas ao regime de Kim. O norte-coreano, no entanto, queria o termo dos bloqueios econômicos sem desmantelar bases que os Estados Unidos consideravam essenciais.

Sem convenção, o rápido progresso nas relações entre Trump e Kim acabou interrompido.

Kim e Putin se encontram na Rússia

A enunciação foi feita durante a reunião de Kim com o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Os líderes se encontraram em Vladivostok, cidade russa perto da fronteira entre os dois países.

Ainda de convenção com a KCNA, Rússia e Coreia do Norte vão cooperar em negócio, economia, ciência e tecnologia. A filial não deixou evidente, no entanto, que tipo de parceria será essa.



© 2019 Dudu Alló | Fórum | WikiAlló | Social | Privacidade| contato | Sobre |

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Luís Eduardo Alló