Funcionários de nove armazéns da Amazon contrataram o coronavírus

Lawrence Glass / Getty

Uma semana depois o primeiro funcionário de arrecadação da Amazon possuir testado positivo para COVID-19 em uma instalação em Queens, Nova York, um totalidade de nove armazéns da Amazon viram funcionários contrairem o vírus, de tratado com relatos da prensa sítio.

Os trabalhadores testaram positivo para o vírus nas instalações de distribuição da Amazon perto de Oklahoma City, Louisville, Houston, Jacksonville e Detroit. Da mesma forma houve casos de coronavírus nas instalações da Amazon em Staten Island, Nova York; Wallingford, Connecticut e, mais recentemente, Morena Valley, Califórnia, leste de Los Angeles.

"Estamos apoiando os indivíduos, seguindo as orientações das autoridades locais e estamos tomando medidas extremas para prometer a segurança de todos os funcionários em nossas instalações", disse um porta-voz da Amazon à Ars.

A Amazon possui mais de 750.000 funcionários, muitos dos quais trabalham em instalações de distribuição em todo o país. Casos recentes representam uma pequena quinhão da força de trabalho em armazéns da Amazon.

A Amazon diz que está tomando uma série de precauções para minimizar a propagação do vírus. A empresa intensificou os esforços para limpar e higienizar suas instalações de distribuição. Da mesma forma limitou as reuniões presenciais e os intervalos de início e pausa escalonados para promover o distanciamento social.

Porém alguns trabalhadores dizem que a Amazon não está fazendo o suficiente para proteger os trabalhadores. Uma petição de trabalhador pede à Amazon que ofereça licença médica remunerada a todos os trabalhadores, ofereça aos trabalhadores uma remuneração de meio tempo e meia e suspenda cotas de produtividade que possam tornar impraticável que os trabalhadores tomem precauções contra a disseminação do coronavírus.

Os clientes se tornam cada vez mais dependentes das entregas da Amazon, pois têm viagens limitadas fora de suas casas. A Amazon registrou um aumento na demanda dos clientes nas últimas semanas, forçando a empresa a prolongar a entrega de itens não essenciais, para que possa se concentrar na entrega de bens essenciais, {como} produtos para bebês, itens de saúde e mantimentos para animais. A empresa anunciou na semana passada que pretende contratar mais 100.000 trabalhadores para ajudar a aguentar com o aumento no volume de pedidos.



© 2020 Dudu Alló | TOR | Alló Game | Privacidade | Contato | Sobre |

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Luís Eduardo Alló