Pular para a barra de ferramentas
Tecnologia

Twitter lança um sistema de verificação renovado com diretrizes documentadas publicamente –

O Twitter está desenvolvendo um novo sistema no aplicativo para solicitar a verificação, de entendimento com uma invenção recente da engenheira reversa Jane Manchun Wong, que o Twitter confirmou desde portanto. A invenção envolve uma opção suplementar “Solicitar verificação” que aparece em uma tela de configurações de conta redesenhada. Esse recurso não é lançado ao público, diz o Twitter.

Wong normalmente procura no Twitter e no Facebook para deslindar recursos {como} esses, criando um nome para si mesma {como} alguém que descobre as próximas adições e altera os aplicativos sociais populares antes de irem ao ar.

Nesse caso, ela encontrou um dos recursos mais solicitados do Twitter fora de um botão de edição: uma maneira de comprar a marca de seleção azul cobiçada normalmente reservada a figuras públicas.

Durante anos, o sistema de verificação do Twitter foi bastante ad hoc, o que resultou em confusão do consumidor sobre o que significa ser verificado em sua plataforma. A empresa queria que o sistema transmitisse que alguém com uma conta de cimeira perfil é, de ato, quem eles dizem que são. Porém, em vez disso, o sistema era frequentemente percebido {como} um que ungiu aqueles Twitter considerados “figuras dignas de nota”.

A marca de seleção passou a valer um emblema de honra, com resultados às vezes desastrosos.

Essa questão veio à tona em 2017, quando os críticos descobriram que o Twitter havia verificado a conta pertencente a Jason Kessler, organizador da sintoma de supremacia branca em Charlottesville, Virgínia, em agosto, que deixou uma pessoa morta. O Twitter tentou explicar que seu sistema atribuiria o crachá de verificação a contas de “interesse público”, porém os críticos argumentaram que um supremacista branco divulgado nem sequer é um número que deva ser verificado – principalmente quando ainda existem muitas figuras realmente dignas de nota.

Posteriormente, o Twitter disse que interromperia as verificações enquanto descobria {como} consertar o sistema. Ele da mesma forma retirou o formulário de envio público que permitia aos usuários solicitar a verificação enquanto trabalhava para repensar seus processos.

Mais tarde em 2018, o Twitter anunciou que não priorizaria mais a revisão do sistema de verificação para concentrar seus esforços na integridade das eleições. Nos meses que se seguiram, o Twitter diminuiu o ritmo das verificações, porém não parou totalmente. Ele verificou os candidatos que se qualificaram para a votação principal, que foi um ajuste das eleições de meio de procuração dos EUA em 2018. Da mesma forma continuou a verificar funcionários eleitos que conquistaram um função público. Mais recentemente, o Twitter começou a verificar especialistas em saúde que estavam twittando informações confiáveis ​​sobre o novo coronavírus.

Agora, a empresa planeja trazer de volta a opção que permite que usuários individuais solicitem verificação.

Porém essa mudança não é somente sobre o reaparecimento do recurso que Wong viu, disse o Twitter ao . Desta vez, o Twitter da mesma forma documentará publicamente o que qualifica um usuário do Twitter a ser verificado. A esperança é que, com mais nitidez e transparência ao longo do processo, as pessoas entendam por que a empresa faz as escolhas que faz.

No pretérito, o Twitter tinha diretrizes internas sobre verificação, porém esta será a primeira vez que o Twitter documenta publicamente e especificamente essas regras.

A empresa confirmou que a invenção de Wong mostra a próxima opção para solicitar a verificação, porém não comentou quando o novo sistema seria lançado ou o que as novas diretrizes indicariam quando ficarem disponíveis. O Twitter disse que tudo isso faz segmento do trabalho que está em curso desde que disse que reformularia o sistema de verificação.

A empresa é frequentemente criticada por {como} aplica suas regras – seja sobre banir ou punir contas que violam seus termos de serviço, quais tweets são removidos por completo ou {como} aplica verificações de fatos, por exemplo: Em outras palavras, documentação de {como} verificar obras não necessariamente colocarão um término às críticas. Porém poderia pelo menos estabelecer uma risca de base, permitindo que o Twitter dissesse quais exceções às suas regras exigiriam, em última estudo, diretrizes reescritas mais adiante.

Deixe uma resposta

Fechar
Fechar