Mudanças entre as edições de "Plano Ice-Nine"

De Wiki Alló
(Criou página com 'Em Cama de gato, romance de humor negro de 1963, Kurt Vonnegut criou uma substância que chamou de ice-nine (gelo-9, na tradução brasileira). Descoberto por um físico, o dr...')
 
 
Linha 44: Linha 44:
 
depósitos bancários. Esse era apenas o começo. Na quarta-feira, dia 23 de julho de 2014, a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) aprovou uma nova regra, por três votos a dois, que passou a permitir que fundos de mercado monetário suspendam resgates de investidores. A regra leva o ice-nine além do mundo bancário para o mundo dos investimentos. Agora fundos de mercado monetário podem agir como fundos de hedge e se recusar a devolver o dinheiro dos investidores. Gestores de fundos incluíram folhetos brilhantes nos correios e avisos on-line para que os investidores saibam da mudança. Sem dúvidas, investidores jogaram os folhetos no
 
depósitos bancários. Esse era apenas o começo. Na quarta-feira, dia 23 de julho de 2014, a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) aprovou uma nova regra, por três votos a dois, que passou a permitir que fundos de mercado monetário suspendam resgates de investidores. A regra leva o ice-nine além do mundo bancário para o mundo dos investimentos. Agora fundos de mercado monetário podem agir como fundos de hedge e se recusar a devolver o dinheiro dos investidores. Gestores de fundos incluíram folhetos brilhantes nos correios e avisos on-line para que os investidores saibam da mudança. Sem dúvidas, investidores jogaram os folhetos no
 
lixo e não leram os avisos on-line. Mas a regra é lei, e todos foram avisados. No próximo pânico financeiro, sua conta bancária sofrerá bail-in e sua conta de mercado monetário será congelada.
 
lixo e não leram os avisos on-line. Mas a regra é lei, e todos foram avisados. No próximo pânico financeiro, sua conta bancária sofrerá bail-in e sua conta de mercado monetário será congelada.
 +
 +
Esse panorama mostra que bolsas podem ser fechadas, caixas eletrônicos podem ser desligados, fundos de mercados monetários podem ser congelados, taxas de juros negativas podem ser impostas e dinheiro negado, tudo em questão de minutos. Seu dinheiro pode ser como uma joia em uma proteção de vidro na Cartier; você pode vê-lo, mas não
 +
pode tocá-lo. Poupadores não percebem que a solução ice-nine já foi implementada e está esperando para ser ativada por uma ordem executiva e alguns telefonemas.

Edição atual tal como às 23h56min de 6 de outubro de 2019

Em Cama de gato, romance de humor negro de 1963, Kurt Vonnegut criou uma substância que chamou de ice-nine (gelo-9, na tradução brasileira). Descoberto por um físico, o dr. Felix Hoenikker, o ice-nine era um polimorfo da água, uma reorganização da molécula H2O. Duas propriedades distinguiam o ice-nine da água comum. Seu ponto de ebulição ocorria a 617ºC, o que significa que o ice-nine ficava congelado à temperatura ambiente. Além disso, quando uma molécula do ice-nine entrava em contato com uma molécula de água, a água instantaneamente se transformava em ice-nine.

Hoenikker colocou algumas moléculas ice-nine em frascos selados e as entregou para seus filhos antes de morrer. O enredo do romance gira em torno do fato de que se o ice-nine for liberado dos frascos e colocado em contato com uma grande quantidade de água, todo o estoque de água do planeja – rios, lagos e oceanos – congelará e a vida na Terra será extinta.

A história representa um cenário catastrófico adequado à época em que Vonnegut a escreveu. Cama de gato foi publicado logo após a Crise dos Mísseis de Cuba, quando o mundo real chegou perigosamente perto da aniquilação nuclear, o que, mais tarde, cientistas chamaram de inverno nuclear.

Ice-nine é uma boa maneira de descrever a reação das elites à próxima crise financeira. Em vez de reliquefazer o mundo, as elites o congelarão. O sistema será bloqueado. É claro que o ice-nine será descrito como temporário, como o presidente Nixon descreveu a suspensão da convertibilidade do dólar para o ouro em 1971. Convertibilidade para ouro à paridade fixa nunca foi restaurada. O ouro em Fort Knox está congelado desde então. O ouro do governo americano é ice-nine.

Ice-nine se encaixa perfeitamente com o entendimento dos mercados financeiros como sistemas dinâmicos complexos. Uma molécula de ice-nine não congela um oceano inteiro instantaneamente. Ela congela apenas as moléculas adjacentes. Essas novas moléculas de ice-nine congelam as outras em círculos cada vez mais amplos. A propagação seria geométrica, não linear e funcionaria como uma reação nuclear em cadeia, que começa com um único átomo sendo dividido, o qual logo se divide em tantos átomos que a liberação de energia é enorme.

Pânicos financeiros se espalham da mesma maneira. Na versão clássica da década de 1930, eles começam com uma corrida aos bancos das cidades pequenas. O pânico se espalha até que chega a Wall Street e dá início a uma quebra do mercado de ações. Na versão do século XXI, o pânico começa em um algoritmo de computador, que desencadeia ordens de venda pré-programadas, as quais chegam a outros computadores até que o sistema saia de controle. Uma cascata de vendas aconteceu no dia 19 de outubro de 1987, quando o Dow Jones Industrial Average caiu 22% em um dia, o equivalente a uma queda de 4 mil pontos no índice hoje.


Gestores de risco e reguladores utilizam a palavra “contágio” para descrever a dinâmica dos pânicos financeiros. Contágio é mais do que uma metáfora. Doenças contagiosas, como o Ebola, espalham-se da mesma maneira exponencial que o ice-nine, reações em cadeia e pânicos financeiros. Uma vítima do Ebola pode infectar duas pessoas saudáveis, então essas duas pessoas recentemente infectadas infectam mais duas cada e assim por diante. O resultado é uma pandemia, e uma quarentena é necessária até que uma vacina seja encontrada. Em Cama de gato, não havia “vacina”; as moléculas de ice-nine foram postas em quarentena em frascos selados. Em um pânico financeiro, imprimir dinheiro é uma vacina. Se a vacina se mostrar ineficiente, a única solução é a quarentena, que significa fechar bancos, bolsas e fundos de mercado monetário, desligar caixas eletrônicos e ordenar que gestoras de ativos não vendam títulos. As elites estão se preparando para um ice-nine financeiro para o qual não há vacina. Elas deixarão seu dinheiro em quarentena ao congelar o sistema financeiro até que o contágio pare.

O ice-nine está se escondendo em plena vista. Aqueles que não o estiverem procurando, não verão nada. Quando você sabe que o ice-nine está presente, você o vê em todos os lugares. Foi assim depois de minha conversa com minha amiga sobre o congelamento de ativos da BlackRock.

O plano ice-nine das elites é muito mais ambicioso do que os chamados testamentos em vida e a autoridade de resolução de acordo com a Lei Dodd-Frank de 2010. O ice-nine foi além dos bancos e agora inclui seguradoras, indústrias e gestoras de ativos. Foi além da liquidação ordeira para incluir congelamento de transações. O ice-nine seria global em vez de representar a análise de casos.

Os casos mais conhecidos de elites congelando fundos de clientes nos últimos anos foram a crise bancária do Chipre em 2012 e a crise da dívida grega em 2015. Essas crises tiveram antecedentes de longo prazo, mas no Chipre e na Grécia os fatos vieram à tona e bancos impediram que depositantes acessassem seu próprio dinheiro. O Chipre era um conhecido canal de fuga de capital russo, parte ilegalmente obtida por oligarcas russos. Na crise do Chipre, os dois principais bancos, o Banco Laiki e o Banco do Chipre, tornaram-se insolventes. Houve uma corrida ao sistema bancário inteiro. O Chipre era um membro da Zona do Euro e usava o euro como moeda, o que fez com que a crise fosse sistêmica apesar do tamanho diminuto da economia cipriota. Uma troica constituída pelo Banco Central Europeu, pela União Europeia e pelo FMI tinha se esforçado muito para preservar o euro na crise da dívida de 2011 e não desejava ver todo o seu trabalho desfeito.

O Chipre não tinha influência para realizar negociações duras e o país precisava aceitar a ajuda que viesse nos termos que conseguisse. De sua parte, a troica decidiu que os dias dos bancos grandes demais para quebrar tinham acabado. O Chipre representava o limite. Os bancos foram fechados temporariamente. Caixas eletrônicos ficaram off-line.

Uma corrida desenfreada por dinheiro se seguiu. Quem pôde, fugiu para o continente europeu e retornou com maços de dinheiro na bagagem. O Banco Laiki foi fechado permanentemente e o Banco do Chipre foi reestruturado pelo governo. Depósitos bancários no Laiki, acima do limite segurado de € 100 mil, foram despejados em “banco ruim” em que as perspectivas de qualquer recuperação eram incertas. Depósitos menores foram transferidos para o Banco do Chipre. Lá, 47,5% dos depósitos não segurados acima de € 100 mil foram convertidos em ações do recentemente recapitalizado banco. Detentores de ações e títulos públicos receberam deságios e ações do banco como compensação por suas perdas.

O modelo cipriota foi chamado de bail-in, cujo significado é resgate interno. Em vez de resgatar os depositantes, a troica usou o dinheiro dos depositantes para recapitalizar os bancos que haviam ido à falência. Um bail-in reduzia custos para a troica, principalmente para a Alemanha. Investidores de todo o mundo deram de ombros e trataram o Chipre como um acontecimento pontual. O Chipre é pobre. Depositantes em países mais desenvolvidos se esqueceram do incidente e adotaram uma atitude que indicava, “Esse tipo de coisa não pode acontecer aqui.” Eles não poderiam estar mais errados. O bail-in de 2012 do Chipre era o novo padrão para crises bancárias mundiais.

Houve uma reunião com os líderes mundiais do G20, que incluiu o presidente Barack Obama e a chanceler da Alemanha, em Brisbane, Austrália, no dia 15 de novembro de 2014, logo após a crise do Chipre. O comunicado final da reunião inclui uma referência a uma nova organização global chamada Conselho de Estabilidade Financeira (Financial Stability Board ou FSB), um regulador financeiro global criado pelo G20 que não responde aos cidadãos de nenhum país-membro. O comunicado diz: “Nós saudamos a proposta do Conselho de Estabilidade Financeira (FSB) (...) exigindo que os bancos sistematicamente importantes tenham capacidade adicional de absorção de perdas (...).”

Além da linguagem branda, há um relatório técnico de 23 páginas proveniente do FSB, que fornece o modelo para crises bancárias futuras. O relatório diz que as perdas dos bancos “devem ser absorvidas (...) por credores não segurados e sem garantias.” Neste contexto, “credor” significa depositante. O relatório segue e descreve “os poderes e ferramentas que as autoridades devem possuir para atingir este objetivo. Entre eles está o bail-in (...) [e] a redução do valor dos ativos e a conversão em ações de todo o passivo não segurado e não garantido ou de parte dele (...) à medida necessária para absorver as perdas.”

A reunião do G20 em Brisbane mostrou que a política do ice-nine, conforme aplicada a depositantes bancários não era limitada a locais “distantes”, como o Chipre. O Ice-nine era a política dos maiores países do mundo, inclusive os Estados Unidos. Depositantes bancários receberam outra dura lição em relação à habilidade dos governos de fechar bancos durante a crise da dívida grega de 2015. A crise da dívida soberana foi um problema persistente que começou em 2009 e foi aquecendo e esfriando nos anos seguintes.

A crise chegou a seu ponto máximo no dia 12 de julho de 2015, quando a Alemanha perdeu a paciência com os gregos e apresentou um ultimato financeiro em uma reunião em Bruxelas, com o qual a Grécia finalmente concordou.

O cidadão grego típico pode não ter acompanhado o drama em Bruxelas, mas as consequências foram inevitáveis. Não estava claro se os bancos gregos sobreviveriam ou se os depositantes teriam que resgatar os bancos de acordo com as regras de Brisbane. Os bancos não tinham escolha a não ser impedir o acesso ao dinheiro e ao crédito até que sua situação ficasse clara. Caixas eletrônicos deixaram de fornecer dinheiro a correntistas gregos (turistas com cartões de débito de outros países conseguiam dinheiro no Aeroporto Internacional de Atenas). Cartões de crédito gregos eram recusados por comerciantes. A população grega viajava para países vizinhos e retornava com malas cheias de euros. A economia grega voltou ao nível “pague e leve” praticamente do dia para a noite.

Logo após o desastre no Chipre, a versão grega do ice-nine serviu como lição. Depositantes perceberam que o dinheiro que tinham no banco não era dinheiro e não pertencia a eles. O dito dinheiro era passivo bancário e poderia ser congelado a qualquer momento. O plano ice-nine da reunião do G20 em Brisbane não se limitou aos depósitos bancários. Esse era apenas o começo. Na quarta-feira, dia 23 de julho de 2014, a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) aprovou uma nova regra, por três votos a dois, que passou a permitir que fundos de mercado monetário suspendam resgates de investidores. A regra leva o ice-nine além do mundo bancário para o mundo dos investimentos. Agora fundos de mercado monetário podem agir como fundos de hedge e se recusar a devolver o dinheiro dos investidores. Gestores de fundos incluíram folhetos brilhantes nos correios e avisos on-line para que os investidores saibam da mudança. Sem dúvidas, investidores jogaram os folhetos no lixo e não leram os avisos on-line. Mas a regra é lei, e todos foram avisados. No próximo pânico financeiro, sua conta bancária sofrerá bail-in e sua conta de mercado monetário será congelada.

Esse panorama mostra que bolsas podem ser fechadas, caixas eletrônicos podem ser desligados, fundos de mercados monetários podem ser congelados, taxas de juros negativas podem ser impostas e dinheiro negado, tudo em questão de minutos. Seu dinheiro pode ser como uma joia em uma proteção de vidro na Cartier; você pode vê-lo, mas não pode tocá-lo. Poupadores não percebem que a solução ice-nine já foi implementada e está esperando para ser ativada por uma ordem executiva e alguns telefonemas.